Já fui muitas coisas. Já estive tantas outras. Já mudei de opinião e me reinventei diversas vezes. Já acertei, já errei, disse coisas em que não acredito mais e acredito em outras que antes não acreditava. Não me envergonho de quem eu fui, de quem eu sou e de quem eu serei. Rio de mim mesma, amadureço, vivo! Hoje sou apenas um bichinho de estimação curioso, ávido por novas brincadeiras e desafios. Um bichinho que gosta de brincar, ronronar, se esfregar, mas que também arranha um pouquinho às vezes. Um bichinho que não sabe se definir, mas que com toda a certeza ainda sabe SENTIR. E eu sinto que eu não posso mais viver sem o BDSM na minha vida. Eu preciso vivê-lo intensamente. Eu preciso me entregar a esse fetiche, esse desejo, essa loucura, como quer que chamem, mas eu preciso. O tempo passa, as coisas e pessoas mudam, mas uma coisa prevalece em mim: Essa vontade que me consome, esse desejo em ter meu corpo dominado, minha mente subjugada, meus desejos cedidos a outro. E eu prossigo, me perdendo em labirintos, abrindo e fechando portas, tentando encontrar uma saída que me leve de encontro aos meus desejos mais secretos.=^.^=

Escrito por princess kitty

Sobre ser pet...

Oi meus miauamores!

Quero miar hoje sobre um assunto que muitas pessoas conversam comigo, perguntam, e às vezes tem algumas dúvidas, sobre petplay e sobre ser pet. Existem muitas maneiras de se ser pet, mas existem diferenças nesses modos, de como isso é sentido, vivido e sobre o que eu entendo sobre ser pet.

Kittenplay

Existe o “jogo de petplay”, onde a parte bottom de uma relação (ou a definição que queira se dar) age como uma pet durante uma sessão, ou com tarefas em casa, como comer no potinho, brincar com a bolinha, dormir na caminha, ser tratada como um animalzinho de estimação, etc, e tudo isso pode ou não fazer parte de um condicionamento/adestramento  para ela se tornar realmente uma pet, ou ser apenas mais uma prática dentre tantas dentro do BDSM.

A parte bottom pode se transformar em pet apenas durante aqueles momentos e não carregar o sentimento de ser pet consigo, viver apenas como uma prática, e tanto bottom e Top podem se divertir e sentir prazer com isso. Isso que acabei de explicar é o que chamamos de “jogo de petplay” (coloco entre aspas porque eu não considero um jogo, para mim é uma vivência dentro do meu universo de bichinho).

Kittenplay

E existe o ser pet nos sentimentos e emoções (que é onde eu me encaixo). Você pode treinar alguém para agir como uma pet em alguns momentos e até despertar alguns sentimentos nela sobre isso, mas se ela não tiver a essência em querer se transformar e evoluir como uma pet, o resultado não será como o desejado.

Não adianta você chegar e se definir do nada como pet, se você não tiver isso muito bem trabalhado dentro de você mesma, eu demorei para me aceitar e assumir como pet, sempre me identifiquei com pet, mas a aceitação e o despertar como bichinho foi algo lento e gradual, hoje eu amo ser pet e tudo o que envolve isso, amo o carinho e cuidado que recebo, amo as pequenas (ou grandes rs) humilhações em ser apenas o animal de estimação de alguém, amo agir como pet no meu dia a dia. Espontaneamente tomo meu leite na tigelinha porque me traz prazer físico e psicológico fazer isso, brinco e interajo com meus gatinhos de igual para igual rsrsrs, sinto-me um bichinho brincalhão e isso faz parte de quem eu sou.

Kittenplay

E quando amo um Dono, o amo como seu bichinho de estimação e quero ser vista e amada como tal, como um animalzinho. Claro que além de pet sou muitas outras coisas, ser pet não me limita, pelo contrário ser pet me permite viver e ser tudo o que mais desejo e me atrai no BDSM, sou um bichinho masoquista, sou um bichinho submisso, sou um bichinho que ama ser aquilo que seu Dono desejar, mas sou, na minha essência bichinho. Não preciso estar em sessão, andando de quatro o tempo inteiro, ou caracterizada como tal para me sentir assim, isso é o que eu sou.

Kittenplay

E também existe a desumanização completa de um bottom em pet, que é um nível mais avançado e deve ser feito sempre com responsabilidade e coerência, onde a pessoa se transforma totalmente em pet e depende do Dono para tudo, a pet, por exemplo, não fala, apenas mia ou late, comporta-se, pensa e age como animal durante todo o tempo. Geralmente são relações onde a pet mora com seu Dono, em algumas vezes ela apenas assume uma personalidade humana para conviver em sociedade (algumas mesmo em sociedade ainda comportam-se como pets), em outras, em que não precisa conviver é pet em tempo integral, mas deve ser sempre feito com cautela e muita responsabilidade, pois já li sobre os perigos da pet não conseguir ou ter dificuldades em reassumir sua personalidade humana. É possível também mesmo em relações que não convivam na mesma casa, haver a desumanização, onde a pet fica totalmente imersa nesse estado por alguns períodos de tempo.

Kittenplay

Miauresumindo, fiz três divisões em ser pet, no “jogo de petplay”, nos sentimentos de ser um animal de estimação e na desumanização completa.  Claro, isso são apenas alguns exemplos e percepções minhas, o tema petplay  é muito amplo e passível de diversas interpretações e modos de se viver.  Espero que tenha dado para compreender um pouco e para ao menos tentar explicar a tantas pessoas que me perguntam e tem dúvidas sobre isso, sobre ser pet.

Kittenplay

Eu, kitty, me sinto uma catgirl, um bichinho com corpo de menina o tempo inteiro, e me fascina, sempre que possível, me entregar a isso e agir como um animalzinho de estimação, andando de quatro, comendo no meu cantinho, deitando na minha caminha, mas o que realmente importa para mim, são os sentimentos e emoções de me sentir uma pet, se não posso agir como um bichinho o tempo todo, ao menos eu posso me SENTIR assim o tempo todo, e isso é o meu modo de viver e ser pet.

Miaubeijos =^.^=

26 comentários:

Renatinha disse...

Kitty

Ficou ótimo, eu tinha muitas duvidas sobre isso, mas agora entendi melhor, obrigadaaaaa.

Beijinhos

Jekyl Hyde disse...

Linda descrição de pet kitty. Há tantas formas de ser um bichinho para o DOno, para engrandecer ou rebaixar a posse, dependendo da visão do casal.
Amei o texto.

Sophysticada disse...

Kerida!!!

Soh faltou desenhar, rs
Ficou fantastico,

Bjoooo

Cadela submissa disse...

Que linda tua explicação kitty!

Beijinhos

Cezar Rodrigues disse...

Gatinha

Teus sentimentos são a flor da pele, adorei o texto. Quero adotar um bichinho como você!

Beijos

Lee Anne disse...

Até uma leiga como eu entendi (risos) Maravilhosa tua forma de ser! Beijos carinhosos!

happiness is:- Lassie Dog disse...

Quando crescer e deixar de ser filhotinha quero ser como você kitty *~*

Beijos de au au

lassie dog

Anônimo disse...

Gatinha, olha só , eu particularmente tenho a seguinte visão sobre o tema abordado por você, acredito que os 3 tipos abordados são fundamental a entrega e acima de tudo ter um sentimento , acho que não seria justo você optar para seguir um dos tipos sem ter este sentimento ,tem que ter a entrega, a vontade se fazer, o sentimento de "encarnar" em seu pet desejado , é tudo uma questão de adaptação a uma nova filosofia de vida e uma nova oportunidade de seguir um caminho mais diferenciado do normal , eu dificilmente conseguiria passar pelo terceiro processo, fico imaginando, sera que eu conseguiria subir em cima de uma pia feito um gato, cachorro para beber agua ? ou pra escalar muros para tomar sol ?rsrsrs , acredito que não seria muito feliz nesta escolha, mas em relação ao "jogo petplay" é algo agradável, mas acredito que DEVE se encaixar também na segunda opção com entrega de sentimentos, não veria a lógica de não ter isso junto, acredito que uma coisa leva a outra e quem faz algo sem vontade, desejos, sentimentos , não vale a pena nem embarcar junto...adorei suas explicações e como sempre foram esclarecedoras e interessantes, beijos para você, gatinha linda :)

Diego

Sr Dark Félix disse...

kitty

Tuas colocações sobre a vivência de se ser pet é perfeita! Você se sente assim, você é assim e pronto. Você se transformou realmente em uma felina. Parabéns! Beijos!

Moranguinhu disse...

Muito, muito bom Dona Miau! Deu pra tirar as dúvidas e entender que não é porque tivemos algumas sessões com petplay que já seremos pets, precisa ter sentimento de ser pet.

Beijos gatona!

Jessica Submissa disse...

Miguxa

Eu adorei, a única coisa que sei é que você é a gatinha mais meiga, amiga e divertida que já conheci!
Adoro tua amizade e teu jeito miau de ser!

Beijinhos

Recanto do Lobo disse...

Quiri, quiri, quiri... vem gatinha, vem! Maravilha de post kitty! Esclarecedor e fácil de entender!

Beijos sempre te querendo

Licantrope

cadelinha livy disse...

Sou pet e apaixonada por petplay, nunca tinha lido um post que abordasse de um jeito tão verdadeiro e simples. Adorei!

cadelinha livy

chantarelle disse...

Doce gatinha

Adoro quando fala de petplay, a gente lê tanta coisa por aí, mas gosto do teu jeito simples e direto de falar. Escreva mais sobre isso, sempre se não for pedir muito hihihihi.

Carinhos e beijinhos

Mister K disse...

Ótima visão!

Beijos

ana sub disse...

Gatinha

Que lindo teu jeitinho de ser pet! Adoro!

Beijos!

Dom Filipi disse...

Oi linda kitty

Procuro uma pet que tenha esse mesmo sentimento que você tem gatinha, isso tem de vir de dentro da pet, não é fácil, mas vou conseguir!

Mestre Sandoval disse...

Gostei muito!!!

Beijos gatinha

Mestre Sandoval

GATA ZIVA disse...

PERRRRRRRRRRRRFEITAS COLOCAÇÕES!!!!!

Isabela bdsm disse...

kitty você sempre com a sua delicadeza, demonstrando o modo que pensa, explicando e colocando os pingos nos is. Arrasou nesse post mais uma vez! Beijos!

diana submissa disse...

Gatinha amada

Clara e objetiva, realmente dá pra sentir que você ama ser pet!Beijinhos *_*

Lord disse...

Parabéns por mais esse excelente post menina kitty

Beijo grande

AS MINAS DO REI SALOMÃO disse...

Gatinha! Adorei! Adoro o que escreves, é uma gatinha inteligente e perspicaz!

Beijos!

BDSM and LOVE disse...

kittyzinha

Ótima abordagem de petplay e ser pet. Beijos.

DARK Escarlatte disse...

Estais muito sábia essa gata.
Excelente contexto.
Brigadim por visitar minha alcova^.~
BIJUS

Perséfone Core disse...

Parabéns por escrever e explicar sobre essa espécie de denominação de botton.

Ser pet não é somente se fantasiar de um determinado bichinho ou ainda, achar uma gracinha determinados comportamentos e se intitularem de algo que não são.

Sempre tive dentro do meu pensamentos e convicções kittyzinha, a noção de que é preciso saber e conhecer o terreno que estamos pisando dentro do bdsm.

Pra vivenciar jogos de D/s, é preciso sobretudo, sabermos o que queremos, conhecer a nós mesmas antes de mais nada. Ter consciência dos riscos. Caso contrário, estaremos vivendo uma MENTIRA e pior, ENGANANDO a outrem.

Por isso, falar e escrever sobre certos temas, jamais serão "cagações de regras" (desculpe o termo...como alguns infelizmente dizem) mas simplesmente, procurar por bom senso, para que, lá adiante...não cairmos em situações, onde alguns atos/ações, podem tornar-se irreversíveis!

Parabéns mais uma vez por seu post!!! Adorei messsmo!

Beijos!!!
{perséfone core}_DC

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...