Já fui muitas coisas. Já estive tantas outras. Já mudei de opinião e me reinventei diversas vezes. Já acertei, já errei, disse coisas em que não acredito mais e acredito em outras que antes não acreditava. Não me envergonho de quem eu fui, de quem eu sou e de quem eu serei. Rio de mim mesma, amadureço, vivo! Hoje sou apenas um bichinho de estimação curioso, ávido por novas brincadeiras e desafios. Um bichinho que gosta de brincar, ronronar, se esfregar, mas que também arranha um pouquinho às vezes. Um bichinho que não sabe se definir, mas que com toda a certeza ainda sabe SENTIR. E eu sinto que eu não posso mais viver sem o BDSM na minha vida. Eu preciso vivê-lo intensamente. Eu preciso me entregar a esse fetiche, esse desejo, essa loucura, como quer que chamem, mas eu preciso. O tempo passa, as coisas e pessoas mudam, mas uma coisa prevalece em mim: Essa vontade que me consome, esse desejo em ter meu corpo dominado, minha mente subjugada, meus desejos cedidos a outro. E eu prossigo, me perdendo em labirintos, abrindo e fechando portas, tentando encontrar uma saída que me leve de encontro aos meus desejos mais secretos.=^.^=

Escrito por princess kitty

Sobre fins de relações D/s

Oi meus miauamores!

 Hoje eu vim aqui falar de algo que geralmente é muito difícil e doloroso que são os fins de relações D/s. É um assunto muito delicado e não pretendo ser a dona da verdade aqui, quero apenas dar minha opinião sobre o assunto, falar da minha experiência e quem sabe se possível, tentar ajudar quem esteja passando pelo o que eu passei. O fim de uma relação D/s é muito difícil tanto para a parte dominada quanto para a parte Dominante, claro geralmente o que vemos é o sofrimento explícito da parte dominada, enquanto que da parte Dominante quase não ouvimos falar e pensamos que esse sofrimento não existe. Mas sim, ele existe, mesmo porque abrir mão de ser Dono (a) de alguém não é tarefa fácil. As relações D/s criam uma co-dependência entre ambos e mesmo sendo sentida de forma diferente, o apego, a entrega, ocorre de ambas as partes. Mas claro, nesse texto irei focar no sentimento da parte dominada, porque é o que eu vivi e senti.

Kittenplay

Quando se acaba uma relação D/s, seja por qual motivo for, a (o) sub se sente perdida, fica um vazio muito grande, a dependência emocional que sentimos pela outra pessoa se transforma em um monstro que parece que irá nos engolir. Ficamos sem ter para quem direcionar nossa submissão, nossa ânsia em agradar ao outro (porque sim, eu como pet/sub sinto muita vontade em agradar, quero realizar os desejos do outro, vê-lo feliz, ajudar e ser prestativa no que eu puder fazer) a falta que a pessoa nos faz é tão grande que chega a doer fisicamente (eu literalmente sentia meu peito apertar e doer) quando o sofrimento é muito grande. Não conseguimos conter as lágrimas e não aceitamos de forma alguma pensar que um dia nos entregaremos à outra pessoa, se ao final de uma relação baunilha já sofremos, imagine isso elevado à décima potência por causa dos sentimentos envolvidos numa D/s (não estou dizendo aqui que o sentimento de D/s é mais forte que o de uma relação baunilha, claro que não, isso depende de cada caso e pessoa, às vezes pode ser mais forte ou não, o que é mais forte é a dependência emocional que se cria na (o) submissa (o)).

Kittenplay

Muitas vezes, como foi no meu caso, nos apegamos àquela pessoa que nos domina de tal forma que idealizamos o amor sentido. Sentimos como se nunca mais fossemos amar (ou o nome que queira se dar) de novo, e no fundo, naquele momento, não queremos isso, não queremos desapegar da pessoa, nem dos nossos sentimentos de dependência. E entramos num ciclo de tristeza sem fim. Eu não podia ver nada que me lembrasse o BDSM que acabava em prantos.

Kittenplay

Então como desapegar, superar esses sentimentos e seguir em frente? Não é fácil, não vou mentir dizendo que é, mas sim, é possível. Tem pessoas que desapegam mais rápido, outras demoram um pouco mais, cada um tem o seu próprio tempo e a sua forma de lidar com o sofrimento e ir tentando aos poucos eliminar esses sentimentos de dependência emocional. O que não podemos fazer é não tentar, é desistir, é achar que aquilo nunca irá passar, porque aí sim entraremos num perigoso ciclo de dependência da dependência. Sim, pode parecer confuso o que eu estou dizendo, mas é isso mesmo. Apegamos-nos aquela dependência que ainda nos resta e ficamos dependentes desses sentimentos de ainda depender e não queremos abrir mão disso. Eu passei por isso e não recomendo para ninguém.

Kittenplay

E o medo de se apegar a outro alguém e sofrer tudo de novo? Sim, esse medo existe e é real, mas temos de entender que não podemos passar o resto da vida nos escondendo de quem somos ou de sentir afeto/sentimentos de D/s por outra pessoa. Porque sim, a (o) sub tem essa necessidade em se apegar, em depender, até mesmo para poder viver essa entrega plenamente, e se queremos ser felizes de novo precisamos arriscar. Quem já viveu ou vive uma relação assim sabe que os sentimentos de euforia, expectativa, felicidade que existem numa D/s são muito intensos e provocam um prazer que vai muito além do prazer físico, é um prazer psicológico quase constante e que nos faz muito bem.

Kittenplay

Precisamos olhar para dentro de nós e saber que somos MUITO mais que uma parte de uma relação rompida, que somos mais que uma posse que não existe mais, ou que talvez ainda exista apenas na nossa cabeça.  Somos mais que uma dependência emocional. Somos seres únicos, completos, que nos entregamos sem medo, nos apegamos, nos submetemos, expomos nossas vulnerabilidades, mas que sim, podemos nos reconstruir, olhar sem medo para o futuro e descobrir que existem muitas outras entregas, muitos outros modos de viver o nosso desejo (ou até mesmo modos parecidos) e que por mais que nos tornemos dependentes de um Dominador (a) somos acima de tudo dependentes de nós mesmos, do nosso desejo de servir, de agradar, de nos entregar e ser tudo aquilo que queremos ser!

Imagem
Frase retirada da internet sua autoria já foi atribuída a Clarice Lispector, Caio F Abreu e Willian Shakeaspeare rsrs.

Vem ser miaufeliz comigo?

Kittenplay

Miaubeijos =^.^=

19 comentários:

isadora disse...

kitty

Como alguem que ja passou pelo fim de alguns relacionamentos D/s esse teu texto é profundamente real e a dor chega mesmo a ser fisica as vezes, fora o sentimento de ter sido usada e descartada rs. Mas a gente supera sub é um ser forte.

Excelente texto gatinha.

Beijos

isadora

Bela do Mar... disse...

Até chorei kitty... lindo... eu to passando por isso e vc sabe... obrigada por dividir esse texto conosco.

Beijos menos chorosos de quem tanto te adora.

mabelzinha disse...

Ahhhhhhhhh essa minha miauamada sempre me emocionando, seu texto é educativo, serve como exemplo a todas as subs, escravas, pets e afins que estão passando por esse momento.
Uma vez me falaram uma frase que guardei, só nao sei dar os devidos creditos: A dor é inevitável mas o sofrimento é opcional.
É dificil, doi, a gente sofre, se descabelo, mas reconhecemos a queda, levantamos a poeira e damos a volta por cima.
Orgulho de vc kitty.
te amo
mabelzinha

Dom Marcelo Fernandes disse...

Fim de relacionamento é sempre dificil. Parabéns pelo texto.

Solyni disse...

Querida Kitty, lindo texto.
Passei por algo parecido, mas, no caso, quem terminou com meu Mestre fui eu. A dor das duas partes é intensa, você se sente traindo e, mesmo apaixonada por outro, você ainda tem aquele sentimento de pertencimento. Suas palavras foram maravilhosas e tenho certeza que irão ajudar muitas e muitos que estejam passando por esse tipo de situação ou não a compreendam.
Me tocou profundamente.
Beijinhos

ana sub disse...

Gatinha linda

Sempre tão verdadeira, sem medo de expor o que pensa e sente, te admiro tanto, esse texto mostra a dor mas também mostra que é possivel se recuperar. Obrigada querida! Beijinhos!

Lord disse...

Excelente reflexão

Beijo grande

DAMION disse...

Ótima abordagem kitty, gostei que tb falou do Dominador, porque também sentimos a perda da posse.

Beijos, DAMION

karolzinha disse...

kitty

Sem palavras aqui... me atingiu em cheio, nunca é fácil.Beijos.

BDSM and LOVE disse...

Linda

Você disse tudo nesse texto, somos muito mais que tudo isso, temos que ter força, amor próprio e superar!Beijos!

escrava mirna disse...

Realmente kitty e as vezes os danos causados por uma D/s mal conduzida são assustadores e muito dificil de se libertar. Tuas palavras são uma luz no fim do tunel. Beijos carinhosos.

escrava mirna

Cezar Rodrigues disse...

Parabéns pelo texto kittyzinha! Beijão!

Azrael disse...

Belíssimas palavras. O fim de uma D/s é o cisma repentino de algo muito intenso. Desligar a "chavinha" nem sempre é fácil. Nessas horas o melhor remédio é a maturidade e a paciencia...

Torço por ti e espero que encontre seu eixo e que tire da história que (infelizmente) findou somente boas experiencias e lembranças.

{ÍsisdoEgito}JZ - Tua, somente tua disse...

Recomeçar sempre mesmo que aos poucos, afinal, devemos ser felizes!

Beijos carinhosos,

ÍsisdoJUN

EU SOU NEGUINHA disse...

A gatinha linda...como doí ne?
Levei um bom tempo para me curar,guardei o que foi de mais bonito e fui em frente,me curando,me melhorando...]Hoje...agradeço a toda esta dor,que me fez forte,me fez crescer e me sentir novamente feliz..
beijos da nega

EU SOU NEGUINHA disse...

A gatinha linda...como doí ne?
Levei um bom tempo para me curar,guardei o que foi de mais bonito e fui em frente,me curando,me melhorando...]Hoje...agradeço a toda esta dor,que me fez forte,me fez crescer e me sentir novamente feliz..
beijos da nega

EU SOU NEGUINHA disse...

A gatinha linda...como doí ne?
Levei um bom tempo para me curar,guardei o que foi de mais bonito e fui em frente,me curando,me melhorando...]Hoje...agradeço a toda esta dor,que me fez forte,me fez crescer e me sentir novamente feliz..
beijos da nega

Sophysticada disse...

Kerida Kitty,

Fim de relacionamento é uma tempestade q temos a impressão q nunca vai acabar. Prefiro viver cada momento como único e o sofrimento da separação faz parte da vivência e do crescimento pessoal.
E ai soh o amigo "tempo" faz tudo voltar pro seu lugar.
Desisti isso relamente não faz parte do nossso vocabulário.


P.S.: Sempre muito delicado os seus textos, q bom q voltou...

Lambidinhas nocê!

Bjoooo

Edgar disse...

Acho que todo mundo já passou por esse inferno que é sentir a falta de alguém. Mas temos que sempre manter a cabeça erguida e aproveitar o maximo possivel os amigos, as pessoas próximas. É o jeito. Tentar conhecer outra pessoa e tentar fazer tudo de melhor para não passar por isso de novo, é bom também!

Tu é do interior de São Paulo né? Eu também sou, podíamos marcar de tomar um copo de leite juntinhos miau.

Beijão Princesa! ;*

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...