Já fui muitas coisas. Já estive tantas outras. Já mudei de opinião e me reinventei diversas vezes. Já acertei, já errei, disse coisas em que não acredito mais e acredito em outras que antes não acreditava. Não me envergonho de quem eu fui, de quem eu sou e de quem eu serei. Rio de mim mesma, amadureço, vivo! Hoje sou apenas um bichinho de estimação curioso, ávido por novas brincadeiras e desafios. Um bichinho que gosta de brincar, ronronar, se esfregar, mas que também arranha um pouquinho às vezes. Um bichinho que não sabe se definir, mas que com toda a certeza ainda sabe SENTIR. E eu sinto que eu não posso mais viver sem o BDSM na minha vida. Eu preciso vivê-lo intensamente. Eu preciso me entregar a esse fetiche, esse desejo, essa loucura, como quer que chamem, mas eu preciso. O tempo passa, as coisas e pessoas mudam, mas uma coisa prevalece em mim: Essa vontade que me consome, esse desejo em ter meu corpo dominado, minha mente subjugada, meus desejos cedidos a outro. E eu prossigo, me perdendo em labirintos, abrindo e fechando portas, tentando encontrar uma saída que me leve de encontro aos meus desejos mais secretos.=^.^=

Escrito por princess kitty

A verdade nua e crua sobre a D/s


D/s BDSM

O que é uma D/s? Uma D/s basicamente é uma relação onde um domina e o outro se submete. A D/s é toda relação em si, não apenas as sessões, mas todo o tempo de convivência entre Dominador (a) e submissa (o), seja esse tempo passado juntos pessoalmente, ao telefone e até mesmo nas ausências. Afinal, comparando com uma relação baunilha, você não deixa de ter namorado apenas por ele estar viajando ou em outra cidade, o compromisso se mantém, assim como o compromisso de D/s.

A D/s não significa que meu Dono controla todas as minhas ações e me dá ordens a cada 5 segundos.  Cada Dominador costuma ter “um código de boas condutas” para a sua submissa. Coisas que se ela fizer, ela sabe que estará agradando-o e outras que ela sabe que não deverá fazer, pois irá desagradá-lo e será punida por isso.

Então se existe um compromisso de D/s deve-se supor que não existe a famosa DR (discutir a relação) nesse tipo de relacionamentos, afinal um manda e o outro obedece sem hesitar, certo? Errado. Em muitos casos (o meu, por exemplo, rsrs) existe sim discussão de relação. E a iniciativa parte de ambos, tanto de mim, quanto do meu Senhor, que sempre gosta de saber exatamente como eu me sinto sobre a nossa relação. E isso é muito bom, pois eu me sinto livre para falar sobre qualquer coisa que me incomode com Ele, assim como reclamar, cobrar, etc. Ops, você deve estar pensando: “Como assim cobrar, kitty?” Afinal, teoricamente a sub não deve cobrar nada do Dono, deve sempre aceitar o que Ele oferecer a ela, deve se contentar e ficar “no seu lugarzinho”. Isso é muito bonito em teoria, mas na prática sabemos que não funciona assim, por mais que a sub deseje se submeter é impossível ter uma relação sem esperar nada do outro. Sempre esperamos algo, por menor que seja. Ok, devem existir as submissas totalmente abnegadas de si próprias e que não se importam em esperar, superam ausências, falta de atenção, etc. Muito bem, mas eu acredito que no fundo até elas esperam algo por isso, sim, elas esperam o reconhecimento dessa sua condição abnegada.

Boneca de corda BDSM

Para existir a entrega na relação, a sub precisa confiar, acreditar, pois se alguém se auto-intitula seu Dono e proprietário a primeira coisa que pensamos é que pertencemos, e se pertencemos seremos CUIDADAS. Mas muitas vezes esse cuidado não existe, ou só existe nos momentos de sessão, ou quando é conveniente para o Dono. Mas oras bolas, kitty, se você é submissa deveria querer ser conveniente para o seu Dono e só, ficar feliz em poder servir e ser usada, afinal é para isso que você serve, alguns de vocês podem estar pensando.

Pois bem, lamento informar que eu não penso assim, primeiro não sei se posso dizer que sou submissa, como meu Dono mesmo diz sou BICHINHO (pet) e um bichinho carente, mião, dramático, que gosta e quer atenção.

Acontece que quanto mais se entrega e se dedica ao seu Dono, mais a sub se sente dependente, carente e necessitada de atenção. Porque sim, nos sentimos assim, se você quer entrar numa D/s tem de estar preparada para isso. Não estou falando aqui de sessões avulsas, relações apenas SM ou esporádicas, estou falando de relações onde exista efetivamente uma D/s e um compromisso entre Dono e escrava. E também quero deixar bem claro que estou falando APENAS de relações D/s, não de D/s e baunilha juntos, pois é a minha experiência com o meu Dono, nossa relação NÃO é em NADA baunilha, não saímos para almoçar, namorar, etc. Nós nos encontramos única e exclusivamente para vivermos o BDSM, talvez os únicos momentos mais “baunilhas” que temos é que conversamos MUITO por telefone, quase que diariamente, e por isso acabamos entrando em assuntos pessoais um do outro que vão muito além do BDSM, mas só, e isso não faz da nossa relação, algo baunilha. Nossas realidades não se encontram, nossas vidas não combinam, não somos um casal. Nossa relação é totalmente D/s e SM.

submissa sendo puxada pela guia

Mesmo sendo uma relação D/s e SM existe amor entre nós, nos amamos, temos uma preocupação real um com o outro, um carinho e afeto que preenchem as nossas vidas. E esse amor e intimidade que temos, trazem um apego ainda maior. Eu admito, mesmo a nossa relação não sendo baunilha, meu Dono é o único homem na minha vida, penso nele o tempo TODO, e como a maioria das subs, faço Dele o “centro” da minha vida. E então eu me pergunto, até que ponto esse apego, carência e dependência são bons? Até que ponto isso é mesmo necessário para haver a entrega da sub? Acho que cada caso é um caso, no meu considero que seja importante sim, porque se eu não me sentir assim, não consigo me submeter, não consigo me sentir protegida e acolhida.

A D/s é construída para que exista confiança, entrega e segurança na submissa. Para que o Dominador possa extrair o melhor dela, é isso que nos dizem. Para nos deixar fortes, seguras da nossa condição de escravas. Afinal, nenhum Dominador inteligente vai querer uma submissa frágil, insegura, destruída emocionalmente. Mas acontece que isso muitas vezes também traz fragilidade e insegurança, por nos tornarmos tão dependentes assim de outra pessoa. Eu tenho vivido isso, porque venho passando por situações difíceis na minha vida pessoal, o que está me deixando muito frágil e insegura, por isso tenho me voltado mais para a minha vida BDSM, querendo viver mais isso, ficar mais aqui nesse mundo com meu Dono. Acontece que se meu Dono não pudesse me dar a atenção e o cuidado que eu necessito nesse momento isso me faria MUITO mal.

kitty pensativa

E eu não poderia deixar de pensar o que a dependência, o apegar-se e a carência teriam trazido de bom para mim? Nada. Só me deixaria ligada a uma história, dependendo de alguém que no momento não estaria disponível para mim. Vemos muitas histórias de subs largadas, devastadas pelo sentimento de abandono e carência. E existe a tão famosa desconstrução da escrava, fazer a escrava ir se distanciando aos poucos do seu Dono para não sofrer tanto no momento em que Ele a libertar, imagino o quanto seja difícil passar por isso também, sentir seu Dono distanciando-se de você. Claro, o desapegar-se é MUITO mais difícil que o processo inverso, mas pode ser feito sim, e certamente deixará marcas, sejam elas profundas ou leves.

Porque a submissa dentro da D/s em que vive, em maior ou menor grau, depende da maneira que a relação é conduzida, é condicionada a servir, a idolatrar, a “endeusar” alguém.  É condicionada a pedir permissão para algumas (ou muitas) coisas, a ser controlada, a abrir mão dos seus desejos e vontades em favor de outra pessoa. Ela acaba desejando o que o seu Dono deseja, querendo o que Ele quer, transformando as fantasias Dele nas suas. E quando isso nos é tirado ficamos perdidas, sem rumo, sentimos falta de nós mesmas, pois não sabemos como agir sem o controle do outro sobre nós.

Marionete bondage BDSM

Por isso também vemos muitas submissas destroçadas pela dor das saudades, das ausências (mesmo curtas) dos seus Donos, pois essa ausência curta para Eles para nós é imensa, pois Eles são o nosso próprio Sol, sem Eles não há luz para nós, vivemos na escuridão.

Talvez você pense, então para que se entregar assim? Por que deixar alguém te dominar dessa maneira? Deixar alguém ter tanto controle sobre você? Porque isso parece loucura sendo dito dessa forma.

Porque isso traz um prazer ENORME. Uma sensação de pertencer, uma sensação de que aquela pessoa a quem você se dedica tanto vê o melhor que existe dentro de você, que aquela pessoa, o seu Dono, se importa de verdade com você, que Ele é MUITO feliz por ter alguém que faria qualquer coisa para realizar seus desejos, que você é muito especial por ser essa pessoa capaz de servi-lo dessa maneira. E porque isso traz um conforto, uma sensação de sermos protegidas, que o nosso Dono cuida e zela por nós, aconteça o que acontecer.

Infelizmente muitas vezes isso não passa de fantasia das nossas cabeças sonhadoras...

Sim, a submissão me traz muitas coisas boas, muitos momentos inesquecíveis. Sentir-me um bichinho, sentir-me posse é algo incrível e indescritível, estar nas mãos do Dono em uma sessão, ou sentir-se dominada psicologicamente mesmo a distância, ver minhas vontades serem dobradas, são sensações maravilhosas e extasiantes.

Cat girl submissa

Mas a verdade nua e crua é que a D/s deixa muitas marcas, por mais bem construída e consciente que seja também machuca sim, mesmo sem querer, mesmo não querendo deixar marcas emocionais na submissa, elas sempre acabam existindo, porque como eu disse, é improvável não se apegar, é improvável não ficar dependente e é improvável não esperar nada em troca. Assim como também é improvável não ser marcado pelo prazer, pela euforia, pela realização emocional que uma relação desse nível proporciona. As apostas são altas. É uma gangorra emocional, você vive numa corda bamba de sensações que te levam das lágrimas aos sorrisos num piscar de olhos.

Miaubeijos =^.^=

29 comentários:

龍戦士 disse...

O bichinho tem toda a razão. D/s não é uma coisa simples como muitos pensam, é muito mais profundo e envolvente. Por isso deve haver responsabilidade das duas partes, tanto da submissa que deve pensar e analisar muito bem o que quer e o que procura, quanto do Dom, que precisa se preocupar em fornecer esse suporte. É muito fácil chamar-se Dono e esquecer que a submissa é uma pessoa, com uma vida extra D/s, o que o torna Dono, é estar presente e cuidar daquilo que lhe pertence em todos os sentidos que afetem a D/s, não apenas dessa em sí. ;)

Beijos, meu bichinho muito amado!

龍戦士

{princess kitty}龍戦士 disse...

Dono 龍戦士

Isso eu aprendi com o Sr, que ser Dono é muito mais que um título, é estar presente, é cuidar, é importar-se de verdade com os sentimentos da submissa, mesmo que isso as vezes não condiga com a D/s.

Por mais que eu "não goste" de me sentir tão dependente as vezes, o Sr sabe o quanto eu amo ser bichinho, o quanto eu amo estar entregue, e principalmente saber o quanto o Sr gosta disso.

Obrigada por cuidar e se preocupar sempre comigo, por aturar esse bichinho carente, miento e esfreguento, mas que adora ser o SEU bichinho de estimação.

Miaubeijos da SUA kitty miona e ronronante que o ama MUITO!!! =^.^=

BEAU GESTE disse...

Amo você e o seu Dono e, sobre tudo o respeito e o amor entre vocês.
O texto é inteligente, objetivo, franco e esclarecedor.
Só tenho uma crítica, o desaparecimento sem aviso de ambos do facebook, deixam uma lacuna impreenchível.
Saudade.
Beijo e abraço em ambos com todo amor!

katy willing disse...

Muito bom o texto kitty!! Parabéns.

Anônimo disse...

ahh kitty não fique triste, os problemas vão e vem nós só temos que ter força pra ver a melhor forma de resolver eles. E se não tiver ação possível é só esperar sem ficar se remoendo.
Seu post está impecável.Independente da forma de relacionamento que se escolhe, sempre há muita bagagem emocional e psicológica a ser extraída no fim dele.
Muito obrigada por manter seu blog e explicar sobre o bdsm rss pensei que teria muitas dúvidas, mas a maioria está sendo respondida com um pouquinho de reflexão e consultando blogs rss...
bjs e um abraço virtual transmitindo muita força pra vc.
Srtasoft( rss vc ainda lembra de mim né?)

Amor A Base de Tudo disse...

Nossa Princess! Agente pensa totalmente diferente se não lermos essas explicações que vc expôs aqui.
Obrigada por dividir conosco sua relação.A beleza da caminhada depende de quem vai conosco e vc esta muito bem acompanhada... Parabéns!

Miaubjs muitos pra vc e seu dono se me permite.



luara disse...

Kitty ...
Disse tudo e muito bem dito...
Seria maravilhoso se a relação fosse feita apenas de prazer , mas , sabemos o quanto é difícil vivenciar uma D/s , desconstruir e sair dela...
Quem ainda não passou por esse processo não sabe ,e imagina que tudo são flores.
É bom que se entenda que o prazer encontrado numa D/s vem acompanhado de responsabilidades e também de dores que deixam marcas ...algumas mais profundas , outras menos , mas sempre há as dificuldades e consequências .
Mesmo os mais experientes podem se perder em meio tantas questões...
Considero importante que sejam colocadas todas as questões que envolvem uma D/s e não apenas os pontos positivos , prazerosos como normalmente fazemos .
Bom que tenha compartilhado conosco essa sua visão , querida .
Beijos , luara .

Isabel disse...

Eu fiquei mais confusa do que ja sou lendo seu post.

Isabela bdsm disse...

Oi kitty

Muito bom ler a opinião realista de quem vive isso como você. Para quem está começando é muito dificil pois nos dizem que devemos aceitar tudo ou não somos "verdadeiras submissas". E isso não apenas os Dons, muitas subs também dizem isso.

Não deve ser facil se entregar tanto e ter de superar tudo sozinha. O apoio do Dom é fundamental.

Obrigada por dividir suas opiniões.

Beijos

Lord disse...

Um dos melhores (e verdadeiros) textos sobre D/s que já li. Parabéns!

Beijo grande

BDSM and LOVE disse...

Gatinha linda

Muito coerente teu post. Por melhor que seja a D/s, a desconstrução ou a falta de atenção nos atinge em cheio sim. É muito dificil não se envolver, não ter ciumes quando se tem irmãs ou não esperar nada, como voce disse sempre esperamos algo nem que seja o reconhecimento disso.

A submissão é um caminho arduo que traz muitas recompensas mas que tambem pode te machucar muito se não houver responsabilidade de ambas as partes como disse o teu Senhor no comentário.

Beijos e saudades

Cecilia submissa romântica disse...

kitty

Apesar de ser casada com o Dono e viver uma relação meio baunilha/ meio BDSM, concordo com TUDO que voce disse ai. Mesmo na minha que é meio baunilha é dificil pra caramba, mesmo porque o "meio baunilha" é so pra manter as aparencias da sociedade, fechou a porta é o Dono que manda e decide tudo. Quando o Dono viaja a trabalho por poucos dias eu fico perdidinha, desesperada sem contato, ficamos totalmente dependentes e precisamos pensar muito bem para quem vamos entregar essa dependencia, tem que ser um Dom que se preocupe com tudo isso e não apenas em ter sessões e mandar.

Beijos

Slave to LOVE!!! disse...

Querida kitty

Esta mais do que na hora de desmitifircamos o BDSM e as relações de D/s, há muitas nuvens, muitas informações equivocadas que dizem que a escrava só deve dizer "Sim Sr" e ela que foda-se com o perdão da palavra.

Você mostra que não é assim, que a escrava tem o direito sim de pedir atenção e de manifestar sua opinião quando as coisas não vão bem na relação.

Parabéns por trazer isso a tona e deixar isso as claras, vai ajudar muita sub que está começando e que precisa saber como é de verdade.

Beijos

Slave

O caminho de perséfone core disse...

Kittyzinha, parabéns por sua sinceridade e percepção do que significa uma relação desse teor. Acabei de escrever em um blog que aprecio muito: "ser e permanecer escrava é algo muito difícil!"

E vc gatinha, conseguiu expor com maestria os sentimentos que temos no decorrer da nossa jornada.

Quantas vezes eu fico assim, dependende, frágil, perdida...qualquer coisa me emociona e toca meu íntimo. Por mais experientes ou inexperientes que somos, ler os sentimentos dos outros e suas vivências, nos ajudam a compreender N/nossos momentos e porque não dizer, traz conforto quando pensamos em futuro que pode ocorrer.
Sim, pois ninguém está livre disso. Quem se propõe a viver, sabe que nada é linear.

O que adoro em ti gatinha, é que vc no seu espaço, fala das coisas boas e ruins de ser submissa/escrava. Não é deslumbrada ou pensa SÓ em prazeres, tem uma consciência e sabedoria grande! Entende como funciona os mecanismos de D/s. Assim como Seu Senhor. V/vocês dois.

O que te faz forte é o fato de admitir suas fragilidades...reconhecer seus medos/sensações, ser honesta sobretudo consigo mesma. Eu admiro imensamente isso em ti. São poucos que possuem esse dom, acham mais fácil e confortável, culpar outros.

Obrigada por dividir isso com a gente!

Grande beijo!
{perséfone core}_DC

{monique}_MT disse...

kitty, adorei esse texto, é exatamente assim que enxergo uma D/s...beijos

{monique}_MT

HONORATO, Sandro disse...

Kitty :)
Como vocês está?
Estou sumido,eu sei :(
Saudades de ti *----*

De seus relatos,das fotos,de tudo aqui >.<
Novidades?

Beijos e cuide-se
Rimas Do Preto

Moranguinho com Chocolate disse...

Oi Kitty...
Adorei o seu texto, diz muitas verdades que muitos tentam abafar e mostrar somente o lado "romantico" da relação D/s.
Mas nem tudo são flores, como sub enfrentamos muitos espinhos. E muitas vezes nos machucamos muito.
Eu infelizmente tive o desprazer de ter um Dono que me abandonou e me fez ver o pior que um Dominador pode oferecer a uma sub.
Mas hoje estou muito feliz com meu Dono que me ama e me ampara nos meus momentos mais difíceis, por mais que estejamos longe sempre sinto ele pertinho de mim.

Estou sentindo falta dos seus miados no face, não sei o que aconteceu, mas eles fazem muita falta por lá...

Bjinhus com chocolate!!!

D. Estevez disse...

kitty

Acompanho seu blog e recomendo seus textos para minhas submissas. Todo Dono e submissa deveria ter consciência das conseqüências de uma D/s. Excelente postagem.

Saudações

D. Estevez

ana sub disse...

Gatinha

Me vi em tantas situações desse teu texto, ser sub é isso, é querer cobrar e não poder, é sentir a ausencia do Dono como se fosse a pior coisa do mundo, é ter prazer na entrega absoluta e é sofrer exageradamente. Parabéns por falar disso abertamente gatinha ^^

Beijooooooooooooooooooos!

Happiness is:- disse...

Quem quer entrar de cabeça no BDSM precisa estar atento a tudo isso antes de sair achando que é só "oba-oba" sem maiores consequencias. Obrigada por dividir isso.

Beijinhos

Alaina

Cadela submissa disse...

kitty

Você fala o que as pessoas costumam deixar debaixo dos panos numa D/s, é preciso haver muita troca, muito dialogo, muita dr como você disse gatinha. Pena que muitos Dons ainda são daqueles tipos "eu mando e você obedece sem latir kkkkkkkkkkkk". Mas aos poucos vamos mudando esse pensamento antiquado e vamos conseguindo construir uma relação mais produtiva tanto para O Dono quanto para a submissa. Afinal uma submissa feliz e cuidada obedece e serve muito melhor!

Beijocas

Conde Leonard & Anjo Lili disse...

Princess kitty

Aprendemos muito aqui com seu jeito franco e com a postura do seu Dono.Obrigada por esse post tão real.

Beijos

Conde Leonard & Anjo Lili

diana submissa disse...

kitty

A sua visão é perfeita e muito realista.

Beijos com carinho

mell donadeti disse...

Oi amig, vim avisar que depois daquela postagem sobre o fim do nosso relacionamento, eu e dona conversamos e tentamos até hoje, mas ela ter me forçado a uma sessão me desestabilizou, vi aquilo como um estupro, me senti estuprada e por isso hoje terminou mesmo, mas, talvez eu não desista do blog nem do BDSM, ser baunilha não combina com meus braços algemados. Beijos

Topázio do Amor disse...

kitty

Viver uma D/s não é para qualquer uma, tem que ter força e muita vontade. Geralmente as pessoas acham que as sessões, apanhar, as torturas são dificeis. Mas não é assim, isso é o mais fácil. O mais difícil é viver isso no dia a dia, superar as ausencias, a falta de contato, as saudades e muitas vezes o pouco caso dos Dominadores. Seu texto ajuda a abrir os olhos de muitas pessoas.

Beijos querida

topázio

Sol e Lua BDSM disse...

kitty

Excelente e reflexivo post. A D/s tem muitas nuances e delicadezas que quem vê de fora não imagina. É essencial se cuidar e MUITO BEM do emocional da submissa.

Parabéns a ti e teu Dono por viverem algo tão belo!

Beijos do Sol e da Lua

Marcelle Silva disse...

Senti muito tua falta no facebook, vim aqui te visitar e encontro um texto desses... deu um apertinho no coração que mal consigo expressar.

Te desejo tudo de melhor, sempre... espero que vc saiba! Não conversamos tanto, vivemos sempre dentro de um turbilhão de coisas, de emoções, a vida têm sido assim, correria, alegrias, tristezas, ganhos, perdas... mas nunca esqueça que eu tenho um carinho muito grande por vc! Acho que é esse teu jeitinho meigo e porque sou alucinada por gatos! hehehe

Beeeeeeeeeeeeijos, gatinha!

:*

Morena disse...

Parabens pelo seu post, eu me identifiquei com muitas coisas que vc disse, em janeiro eu sai do meu primeiro relacionamento S&M e na epoca nao entendi o motivo de ter sido tao dificil de superar, foi muito diferente dos meus namoros anteriores, mesmo esse sendo o mais curto de todos.Esse vazio que ficou e a dificuldade de seguir minha vida como antes.
Agora estou decidindo se arrisco ser sub novamente, pois emocionalmente foi algo muito intenso e com certeza o seu blog esta me ajudando muito a entender algo super novo pra mim.
Muito obrigada, virei sua fa :-)

eduarda de Dom LK disse...

boa noite !!!

amei seu post... tenhoa mesma visao ... gostaria de transcreve-lo para meu blog, com sua permissao é claro ... bjs parabens pelas palavras aguardo um retorno

{eduarda}_LK

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...