Já fui muitas coisas. Já estive tantas outras. Já mudei de opinião e me reinventei diversas vezes. Já acertei, já errei, disse coisas em que não acredito mais e acredito em outras que antes não acreditava. Não me envergonho de quem eu fui, de quem eu sou e de quem eu serei. Rio de mim mesma, amadureço, vivo! Hoje sou apenas um bichinho de estimação curioso, ávido por novas brincadeiras e desafios. Um bichinho que gosta de brincar, ronronar, se esfregar, mas que também arranha um pouquinho às vezes. Um bichinho que não sabe se definir, mas que com toda a certeza ainda sabe SENTIR. E eu sinto que eu não posso mais viver sem o BDSM na minha vida. Eu preciso vivê-lo intensamente. Eu preciso me entregar a esse fetiche, esse desejo, essa loucura, como quer que chamem, mas eu preciso. O tempo passa, as coisas e pessoas mudam, mas uma coisa prevalece em mim: Essa vontade que me consome, esse desejo em ter meu corpo dominado, minha mente subjugada, meus desejos cedidos a outro. E eu prossigo, me perdendo em labirintos, abrindo e fechando portas, tentando encontrar uma saída que me leve de encontro aos meus desejos mais secretos.=^.^=

Escrito por princess kitty

Minhas primeiras fantasias com sadomasoquismo...

Postado originalmente por mim no blog Pensamento Indecente em  27/02/12.



Estou em um local escuro... sinto minhas mãos presas a grilhões na parede, a escuridão não me permite ver, mas sinto alguém se aproximando... ouço um som... um chicote estalando no ar, de repente ele corta minha carne, dou um grito agudo de dor e... acordo. Esse foi um dos primeiros sonhos eróticos com sadomasoquismo que tive na minha vida, sonhos eróticos de uma menina de 11 anos que nem beijado tinha ainda. Desde muito novinha sempre tive atração por sentir dor. A minha primeira paixão foram as injeções, imaginem uma criança que preferia tomar injeção a qualquer outro remédio, lembro que até inventava que não conseguia tomar as gotas pois eram amargas e me davam ânsia e comprimidos eram impossíveis pra mim engolir, tudo mentira claro, eu queria era sentir a agulha da injeção penetrando na minha pele. Óbvio que na época eu não tinha consciência que isso era uma coisa erótica, mas o desejo em sentir dor sempre me acompanhou. Quando tinha 12 anos fantasiava a minha primeira vez sendo violentada, forçada, machucada, me imaginava amarrada há uma grande mesa de madeira em um galpão e me via cercada por alguns homens, sim, alguns, eles me davam tapas no rosto, puxavam meus cabelos, apertavam o bico dos meus seios e um por um iam me estuprando. Conforme eu crescia as fantasias iam ficando mais elaboradas, lembro que uma vez assisti a um documentário que falava sobre as torturas na época da Ditadura, claro aquilo era horrível, mas a partir dali acrescentei choques e uma palmatória as minhas fantasias sadomasoquistas. Comecei a procurar alguma literatura que me desse subsídio para as minhas fantasias, claro para uma menina de 12 anos não era fácil ter acesso a isso, mas sempre frequentei a Feira do Livro em Porto Alegre e lá misturados aos livros novos havia as bancas com livros antigos, aonde era possivel se comprar alguma coisa e se passar despercebida. Descobri o Marquês e Justine e me apaixonei por eles, assim como um pouco de literatura barata que também ajudou a compor minhas perversões sexuais.


Eu tinha algumas fantasias recorrentes, como ser levada para uma ilha e ser obrigada a andar nua, acorrentada, exposta, e ser usada como escrava sexual por várias pessoas, ou ficar presa em uma cela a disposição de algum torturador sádico que enchesse meu corpo de agulhas e me maltratasse muito, ou levar uma surra de palmatória e ser colocada de castigo.


Eu fui crescendo e as minhas fantasias foram aumentando, agora eu já possuia um vasto repertório de enredos e torturas sexuais na minha imaginação. Mas ao mesmo tempo que isso acontecia, eu via isso apenas como uma fantasia mesmo, ainda era virgem e me parecia impossivel alguma coisa assim acontecer algum dia comigo de verdade. Sendo assim eu fui deixando essas fantasias de lado, tive meu primeiro namorado sério e tive a minha primeira vez com ele e não foi nada parecida com o que eu fantasiava rsrs, pelo contrário foi muito romântica, e eu adorei. Tivemos ótimas experiências sexuais sem ter nenhum pingo de sadomasoquismo e eu simplesmente esqueci aquilo. O tempo passou, eu continuei com a minha vida completamente baunilha, me sentia realizada sexualmente, sempre gostei muito de sexo, mas em algum momento que eu não sei especificar bem quando, essas fantasias retornaram a minha vida e com força total dessa vez. Eu fantasiava por longos períodos de tempo, agora já uma mulher adulta, e ficava muito excitada. Porém apesar de me considerar muito aberta e topar qualquer fantasia que meu parceiro e eu tinhamos, quando o assunto era sadomasoquismo eu travava, não conseguia imaginar uma pessoa com quem eu tivesse uma ligação romântica me machucando, me forçando, eu não me excitava com aquilo. Precisava ser alguém diferente mas eu não sabia como iria realizar ou encontrar aquilo. Se passaram mais alguns anos e agora eu já tinha plena convicção que precisava experimentar isso e precisava ser alguém diferente. Então um dia tomada por um impulso digitei a palavra sadomasoquismo no “tio google” rsrs, e foi aí que eu descobri o BDSM, nem sabia o que aquelas quatro letras significavam, mas eu fui descobrindo, conheci meu Dono 龍戦士 e daí eu entendi tudo o que eu sentia, e como eu me encaixava perfeitamente naquele mundo. Me apaixonei não somente pelo S/M mas também pela D/s, por tudo o que ter e viver uma relação baseada no BDSM representa. Por isso precisava ser alguém diferente, por isso eu não me excitava com o meu parceiro com as minhas fantasias sadomasoquistas, eu queria era conhecer um Dominador, alguém que tivesse o controle absoluto da relação, não teria graça para mim sentir que eu estava comandando a brincadeira com meu parceiro, dizer algo do tipo “ Quero que me bata, me castigue, etc”. Não, eu precisava me entregar a alguém e deixar esse alguém realizar as fantasias de dominação e sadomasoquismo dele comigo e dai sim eu estaria realizando as minhas também pois estaria sendo forçada, obrigada, machucada, usada, sem controle algum sobre o que aconteceria comigo e isso sim me daria o prazer que preciso como masoquista e submissa.


Essas foram algumas das minhas primeiras fantasias sadomasoquistas e a forma como elas me trouxeram para o BDSM.

Miaubeijos com carinho =^.^=

15 comentários:

龍戦士 disse...

Lindo texto! Digno da minha gatinha, perfeito e explicando detalhadamente esse crescimento interno fetichista. Já conhecia a história do meu bichinho, mas ler aqui foi como se não soubesse... Sempre me deixa muito orgulhoso!!!

Beijos meu bichinho lindo e muito querido!

龍戦士

{princess kitty}龍戦士 disse...

龍戦士

Ah Dono eu que fico orgulhosa em te pertencer :D

Obrigada por me acolher, me ensinar, me ajudar a entender tudo o que eu sentia e por ter transformado minhas fantasias em realidade!

Sem o Sr pra me orientar eu teria ficado perdida por muito tempo ainda.

Miaubeijos do seu bichinho de estimação que o ama =^.^=

Mauro Filho disse...

Impressionante! Desde novinha isso já estava em você!

Beijos

Mauro

aldrey disse...

É incrível,mas a pessoa já está ligada ao BDSM ,já na infância e sem saber o porque...BJS GATINHA

luah negra disse...

Olá , kitty...
É interessante que essas fantasias sempre tenham povoado o nosso imaginário e não fazíamos a mínima ideia que elas tinham nome ...
Das injeções eu gostava daquela dorzinha que permanecia , até evitava o uso de compressa para aliviá-la ...
E agora vemos que aquelas sensações inocentes se tornaram intensas e tão presentes em nossas vidas .
Texto delicioso , querida !
Beijos ,
luah_JH .

SexyButterfly disse...

Já havia lido o post original e adorado.

Surpreendente e delicioso saber como as coisas foram evoluindo, gatinha querida!

beijos borboléticos!

Escarlatte disse...

Uauu... que mente diabolica esta tua. pesamentos nada indecentes, e sim de delicosas torturas.
Eis realmente corajosa por ficar nas mãos e a mercer das loucuras exóticas de alguem!

Boa semana chuvosa.

Eidy disse...

Oi minha querida , passando apenas para te deixar um beijo, não ando disposta esses dias , quase não entro , mas em breve estarei melhor.

Beijos e Paz .

Mister K disse...

Uma masoquista e submissa nata e autêntica!

Parabéns!

Beijos e saudações

Mister K.

Amália disse...

Esse texto mexeu comigo... reconheci-me em algumas partes, embora ainda relute por aceitar. Intenso e insano sentir essas coisas.

Um beijo em voce por ter coragem de viver isso.

Amália

Lua Lana disse...

Gatinha

Desde novinha uma autêntica fetichista. Surpreendente como isso é natural em você.

Beijos carinhosos kitty

Conde Vlad disse...

Engraçado tocar neste assunto. Acho que meu primeiro desejo sexual eu tive com 4 anos, tipo.. Na época eu brincava com as caixinhas de fósforos da minha vó. Era tipo... Eu montava elas de forma que ela parecia um robô, e este robô era o malvado, e ele aprisionava uma princesa (Palitinho de fósforo), dentro dele... e ele não soltava ela por nada. Eu tinha um tesão danado por aquilo, tanto é que quando eu brincava disso eu ía para trás das plantas e o tesão era tanto que eu fazia xixi na parede do quintal. Pra mim aquilo era um ato bastante sexual. O primeiro contato sexual de um menino de 4 anos despertando os seus instíntos.

Aí agora eu vejo tu falando que sonhou com 11 anos com uma prisão e tal e eu tracei paralelos com a prisão que eu impunha a princesa palito dentro do robô malvado feito de caixa de fósforos.

Parece louco essa história, mais se atentar sobre a perspectica de uma criança de 4 anos e olhar como a crítica de um adulto, tem-se uma incrível descrição de relação BDSM.

Beijão Gatinha.
Conde.

Ayesk@ disse...

Gatinha Linda, saudades de voce!!!

rsrs Bom, mea culpa confesso...tenho horror a injeção kkkk

Mas, te lendo, percebe-se que o "BDSM" já fazia parte de dentro de voce, em tão tenra idade...

O mais legal de tudo, é que voce realizou e realiza, vive o que ama e faz parte de voce!

E confesso, gatinha, cada vez que te leio, mais sua fã eu fico!!!
Te adoro!!!

Beijos doces carinhosos na gatinha {princess kitty}龍戦士; que adoro, Paz e Luz para o seu Dono 龍戦士.


Ayesk@

¥ nyssa ¥...ÅS disse...

kitty,

Amei ler seu relato! Gosto muito de saber as histórias de cada amiga e é maravilhoso saber que em muitos pontos somos tão parecidas :)

Beijocas

KiKi Blanche - streeper disse...

Já leu A Ciranda dos Pervertidos, do Marquês de Sade? Pois não leia porque ali só tem crimes sexuais - se atualmente provoca arrepios imagine naquele século! Não é à toa que o louco foi trancafiado num manicômio!!! af

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...