Já fui muitas coisas. Já estive tantas outras. Já mudei de opinião e me reinventei diversas vezes. Já acertei, já errei, disse coisas em que não acredito mais e acredito em outras que antes não acreditava. Não me envergonho de quem eu fui, de quem eu sou e de quem eu serei. Rio de mim mesma, amadureço, vivo! Hoje sou apenas um bichinho de estimação curioso, ávido por novas brincadeiras e desafios. Um bichinho que gosta de brincar, ronronar, se esfregar, mas que também arranha um pouquinho às vezes. Um bichinho que não sabe se definir, mas que com toda a certeza ainda sabe SENTIR. E eu sinto que eu não posso mais viver sem o BDSM na minha vida. Eu preciso vivê-lo intensamente. Eu preciso me entregar a esse fetiche, esse desejo, essa loucura, como quer que chamem, mas eu preciso. O tempo passa, as coisas e pessoas mudam, mas uma coisa prevalece em mim: Essa vontade que me consome, esse desejo em ter meu corpo dominado, minha mente subjugada, meus desejos cedidos a outro. E eu prossigo, me perdendo em labirintos, abrindo e fechando portas, tentando encontrar uma saída que me leve de encontro aos meus desejos mais secretos.=^.^=

Escrito por princess kitty

Ser ou não ser...eis a "classificação"


By 龍戦士

Bom, primeiramente peço desculpas ao Shakespeare por crucificar sua famosa frase. Mas outro dia, conversava com minha gatinha sobre rótulos e classificações dentro do BDSM até que ela teve a idéia de escrever um post, sendo assim, me  pediu para escrever um “breve” texto sobre como 
enxergo e classifico (sim, breve entre aspas, pois duvido que este texto será curto lol).

Em segundo, deixo claro que aqui está a MINHA opinião, o que EU penso e não o que digo que os outros devem acreditar, muito menos estou tentando “pregar” o BDSM para os outros. Caso discorde de algo, fique a vontade para criticar ou debater, mas FOR GOD SAKE!!! Tenha argumentos para tal.

Finalmente, iniciando - Durante meus anos no meio, nunca gostei de rótulos e/ou classificações das pessoas, odeio os famosos donos da verdade que sentenciam que toda mulher submissa PRECISA gostar de tal coisa, caso contrário: “Não é sub, é só uma fetichista”. O SM já teve muitas fases, desde doença, passando por loucura, desvio mental até ser aceito como uma forma de fetiche, aceito mais ou menos, pois o preconceito ainda é grande e sempre será. Assim como um homossexual ainda hoje sofre com o falso julgamento de outras partes. Enfim... voltando ao tópico, desde os primórdios do SM (não estava lá, mas se os cientistas teorizam sobre o big bang, eu acredito poder teorizar sobre o início rsrsrs), nunca houve consenso sobre os títulos e classificações, e quando se chega ao português, vira uma confusão ainda maior.

Vejo pessoas e mais pessoas tentando colocar ordem nas palavras, mas no final das contas percebo  que “sub” é qualquer pessoa que se submete e/ou apanha e Dom é qualquer outro que comanda e/ou bate. Bom, nem preciso dizer que é um tanto generalista e difícil de se posicionar alguém dentro do meio falando dessa forma. Fora isso, existem as masoquistas... putz!!!... pêra lá, então se sub é quem se submete ou apanha e masoquista é quem gosta de apanhar, toda sub é masoquista? Mas tem sub que não gosta de apanhar... Então masoquista é o que afinal? E vai mais longe... temos o termo que eu particularmente não gosto, das “baunilhas apimentadas”... opa! Então essa não é sub, mas pode ser masoquista, e gosta de algumas coisas e não de outras, ou do cenário como um todo. Sinceramente, acredito que a partir do momento que a pessoa sente atração por algo do meio, ela já está relacionada a este. Mesmo que seja apenas voyeur e sinta prazer em assistir mas não participar.

A questão no final, não é que cada um fala de seu jeito, muitos pensam de forma interessante e com muito sentido, outros apenas assumem o mais fácil e generalista. Mas organização e consensualidade , isso estamos bem longe de ter.

Complicado até agora? Fiquem calmos que melhora... ou piora, depende do seu referencial LMAO!!!

Enfim... apesar de não gostar de rotular, assumindo que a pessoa PRECISA gostar disso para ser sub, ou daquilo para ser masoca ou baunilha apimentada.... preciso admitir que uma certa classificação ajuda e muito para nos situarmos em um ambiente e conseguirmos nos encontrar dentro dele.  E nesse ponto, saúdo os ingleses. Como uns dos mais tradicionais no BDSM, apesar de também não possuírem uma terminologia aceita por todos, inclusive entre eles mesmos (e se procurar verá várias classificações distintas em inglês), possuem formas de pensar parecidas e sempre se preocupam em tirar a dúvida. Admiro, pois o objetivo não está em classificar para dizer que um é melhor ou pior que o outro, mas para ajudar a cada um se entender, se posicionar e conseguir saber o que procurar. É basicamente como quando vamos a um shopping ou parque temático e encontramos a famosa plaquinha com a seta em vermelho escrito “Você está aqui”, e de lá usa para chegar onde quer HAHAHAHAHAHHAHA. Enfim, com um dos grupos que conheci, fui apresentado a uma forma de classificar que pessoalmente achei ótimo, um pouco complicada, mas uma das mais objetivas e fáceis de se situar que já vi. Por isso a adotei para utilizar, e continuo sabendo que outros pensam diferentes e continua dizendo que se não concorda, não estou pregando isso.

Comecemos a explicar, por cima (não estou falando de Tops e bottoms rsrsrs). “Paraphilia”, parafilia, é o ato de sentir prazer sexual não pela cópula (lógico, TAMBÉM através desta), mas através de outras formas de estimulação, seja através de estímulo de toque, visual, ou auditivo. Portanto, fique feliz (ou não), se você lê este blog, provavelmente é um parafílico ^^.

Bom, a parafilia é o “global”, tudo, absolutamente tudo que possa pensar sobre este tema, está dentro dela. Mas esse termo “paraphilic”, óbviamente, não é usado, começamos a partir dos próximos.

Os parafílicos estão divididos em BDSMer e Fetishist. (Antes que diga algo, sim eu sei que o BDSM é uma forma de fetiche, mas leia tudo e vai conseguir entender).

Fetishist  – É a pessoa que tem um ou mais fetiches específicos, e me desculpem os podólatras, mas se você é podo e não gosta de D/s ou SM, apenas de pés, você está aqui! Se você tem uma forte atração por pessoas em couro, látex ou se é uma CD, não, não mudou, continua aqui. Complicado explicar, mas pense o seguinte. O BDSM como a própria sigla indica, se trata de sadomasoquismo e dominação (sim, bondage é uma forma de dominação, afinal de contas, amarrar o outro é uma forma de dominá-lo sexualmente). Ou seja, qualquer fetiche que fuja aos princípios básicos dos BDSM está nesta categoria.

Agora começa a complicar rsrsrs.

BDSMer – Bom, estes são o que a maioria que lê este blog se encaixa, ou sejam são pessoas que estão envolvidas na D/s ou no SM. Calma! Se você é podólatra, mas gosta de adorar os pés de um(a) Dom(me) e junto com a podolatria se excita ou se atrai pela D/s ou pelo SM, aí sim... você está aqui. Um BDSMer nato! Rsrsrsrs (estou usando a podolatria como exemplo, pois é um dos fetiches mais comuns fora e dentro do BDSM). Brincadeiras a parte, ao se atrair por alguma forma de dominar ou bater, ser dominada ou apanhar, a pessoa é um BDSMer (Bondager, Dominant, submissive, Sadistic ou masochistic).

Continuando a complicar.

Um BDSMer ele poder ser três coisas: Top, bottom ou switcher (não vou abordar switcher aqui, pois é a mesma coisa que as duas outras, apenas que a pessoa “joga nos dois times” rsrsrs.

Top – É todo e qualquer ser BDSMer que se sinta atraído por alguma forma do BDSM na qual ele está no controle (E não, um fetishist não pode ser Top, pois a partir do momento que seu fetiche tem a ver com “controlar”, ele se torna um BDSMer.

Top se subdivide em algumas categorias também: Dominant, Master, Spanker (Cadê o Sádico? Calma... vamos devagar)

Dominant (Mister ou Sirno masculino Madam no femino, chamados pelo bottom de Sir ou Ma’am)– É o efetivamente Dom, é a pessoa atraída por dominar a outra, mas dominar no sentido de simplesmente dar ordens e controlar, não existe a preocupação de “cuidar” ou “ensinar”, ele dará uma ordem e o bottom que se vire para fazer, não terá o cuidado de ensiná-lo, de condicioná-lo, é uma figura “egoísta”, pois exige algo e deixa a par do bottom aprender ou entender como.

Master (Master no masculino ou Mistress no feminino chamados pelo bottom pelo próprio título) – É o “Dom cuidadoso”, continua sendo dominante, continua dando ordens, mas ele olha para o bottom como uma posse de valor. Ou seja, se preocupa em treiná-la ou condicioná-la, em ensinar para que esta consiga realizar as tarefas, usa seu tempo conversando e ensinando... enfim.

Spanker – Bem, acho que a palavra por sí só deixa bem claro “onde esse cara está”. É o BDSMer que sente atração apenas nessa prática, não tem desejo de dominar, controlar ou ordenar o bottom, apenas sente prazer em bater Uhm.... mas porque esse cara não é o Sádico? Simples! Porque o spanker sente atração única e exclusivamente pelo spanking, com as mãos, palmatória, cane, chibata, seja lá o que for, mas é spanking. Outros tipos de torturas, não são de seu gosto. (E realmente é bem raro de se encontrar uma pessoa puramente Spanker).

Bondagist ou Bondager – Bem, se não tem consenso quanto aos termo em geral, esse é o pior deles (o termo, não os praticantes, até porque adoro bondage). Não existe aceitação geral nenhuma quanto a isso, pois pelo inglês acham que o certo seria Bondager, mas... essa é uma palavra que originalmente é usada para descrever um tipo de servo... enfim. Esses são aqueles que gostam de amarrar, geralmente adoradores de shibari, cordas, correntes, couro e muito mais. Sim, qualquer outro tipo de Top pode gostar de bondage, mas essa categoria é específica para os que gostam disso sem a D/s junta, o prazer está no visual, no amarrar, no ver a mulher se contorcer, a beleza das cordas ou correntes formando quase que uma roupa em seu corpo.

Agora sim! Temos o:
Sadistic – Esse é separado das outras, pois é uma categoria por si só, mas ao mesmo tempo uma subcategoria das outras. Ou seja, um Dominant pode ser TAMBÉM Sadistic ou não, um Master , a mesma coisa e um Spanker, óbviamente é!  E digo que essa é uma categoria por si só também, pois existe aquele que é apenas Sadistic, ou seja, não sente atração alguma pela D/s, não gosta de práticas psicológicas, de humilhações etc. seu único prazer é na dor, ou melhor em causá-la.

Outro motivo de separarmos o Sadistic é porque existem “formas” por assim dizer, de praticá-lo:
Sadismo físico - É o famoso conhecido, causar dor, torturar, sentir prazer no sofrimento físico da outra pessoa.

Sadismo psicológico – Esse é o mais usado, mesmo que muitos não percebam. Sadismo psicológico, é o prazer através do sofrimento psicológico da pessoa, colocarei em CL para prestem atenção... PSICOLÓGICO... ou seja, torturar a mente da pessoa, fazer com que seu cérebro trabalhe desordenado e com um “nó”. Parece maluquice? Mas deixa eu tentar explicar melhor. O bottom, seja lá qual for, vive em eternos dilemas, pois pense bem. Humilhações, são situações que ninguém gosta, então porque alguns gostam? Porque gostam de ser humilhados? NÃO! Mas porque gostam  da sensação que a humilhação lhes causa. Difícil? Vamos lá, não é questão gostar da humilhação, mas de gostar de ser desagradado... (nossa, isso é mais difícil de escrever que eu imaginava rsrs). Todo Dominant ou Master sempre será um Sádico psicológico, pois é impossível praticar a dominação sem exercer o sadismo psicológico, ao submeter uma pessoa, você está automaticamente exercendo uma forma de sadismo contra o psicológico dela, fazendo com que está se sinta obrigada ou desejosa a se submeter.

Sadismo emocional – Complexo, difícil e terrível... o motivo de ter ressaltado e muito o psicológico no item anterior, é porque muitas pessoas confundem aquele com este. Mas há uma diferença sutil porém terrível entre eles. Sadismo psicológico é torturar o psicológico, certo? E o emocional? Bom, como a resposta óbvia que deve estar pensando, ele tortura o emocional da pessoa. Ele pode ser usado para “prender” uma bottom ao Dono pelo resto da vida, mas ao mesmo tempo pode acabar com a vida de uma pessoa (parece exagero, mas não é). Querendo ou não, quando se trata de QUALQUER tipo de relacionamento, algum sentimento existe, e viver situações prazerosas com a pessoa pela qual sente isso, mesmo que sejam situações de dor ou humilhação, é gostoso. Mas a partir do momento que esse sentimento é usado contra o bottom pelo prazer do Top como “arma”, é totalmente desumano. Todos erramos, mas por errar e não por querer e torturar o sentimento de uma bottom é algo que ninguém tem o direito de fazer por simples prazer. Sentimentos são “partes” humanas que podem nos levar da pura euforia para a total depressão em segundos. E o sadismo emocional é o que mexe exatamente com isso. Encoleirar uma sub que pré-acordou que não teria irmãs e arrumar uma outra por castigo é totalmente inaceitável, pois se a sub tem um limite quando a irmãs de coleira, provavelmente é porque procura um Dono/Namorado, e por mais que goste de seus prazeres submissos, fazê-la assistir a uma cena ou ficar sabendo que seu Dono estava com outra, mexe totalmente com seu sentimental, assim como uma traição é terrível para qualquer um. Não aceito e abomino todo e qualquer Top que faça uso dessa prática contra seu ou sua bottom, e digo contra, pois nessa perspectiva, é impossível que isso seja algo proveitoso e sadio.

OBS: Alguns já devem ter visto ou ouvido o termo Goddess, e também é válido e usado, mas mais como nick que como título, até porque implica confusões com religiões, enfim... uma Goddess, continua sendo uma Madam ou uma Mistress.

Acabamos com o termo Top, mas acalme-se, ainda temos o termo bottom ^^.


bottom –sendo o inverso do Top, é todo que se atraia por ser controlado dentro do cenário BDSM.
São eles: submissives, slaves e pets (a mesma de antes para o masochistic).

(Agora complica mesmo, pois as diferenças são bem sutis e “chatas” de se entender)

submissives – São um tipo de bottom, que se atraem pela submissão e por praticá-la, o prazer destes está em  se submeter própriamente. O prazer psicológico se encontra não necessariamente na postura dominante do outro, mas no fato de estar se submetendo, é algo como “querer se submeter”, ela efetivamente quer ser submissa. Uma submissive, no geral sentirá prazer em obedecer ordens, em cumprir tarefas, pelo simples fato de sentirem que aquilo as faz sentir posse de um outro alguém. Um bottom aqui posicionado geralmente não vê castigos como algo prazeroso, pois ao passarem por isso, não sentem que foram “submissos o suficiente”.

slaves – São as propriamente ditas, escravas, imagine o termo escravo no sentido original da palavra. Nenhum deles queria estar naquela posição, e eram obrigados a trabalhar. Pois bem, slaves, são assim, o prazer deles não estar na própria submissão, está no ser “domada”, no ser obrigada, estar sem o controle da situação, perder seus direitos e opiniões e sequer poder fazer algo contra. Uma slave, é uma bottom que sempre tentará “escapar”, assim como um antigo escravo sonhava com sua liberdade, a slave sonha em não se deixar controlar, o que lógicamente é algo que não se concretiza, pois (mais um dilema de bottom), o prazer está no ser obrigada e domada. Sendo assim, uma slave sempre que puder ou conseguir, vai tentar escapar das amarras, vai desobedecer e principalmente tentar manter-se de igual para igual com o Top, óbviamente não conseguirá. Mas repito, o prazer estar em ser obrigada e submetida, e aí o porque de seu comportamento.

(Imagine o seguinte: Se o Dono manda a escrava ficar de quatro, a submissive vai ficar porque quer agradar o Dono (sentindo um sentimento submisso por fazer algo altruísta), e também porque cumprir a ordem e ficar nessa posição é algo de certa forma humilhante, ressaltando esse sentimento. Uma slave se o fizer e repito SE o fizer, fará “bufando”, pois não quer fazer, mas o prazer está em ser obrigada, pois sabe que se não fizer, tem castigo. E se não fizer, sentirá o prazer porque o Dono vai forçá-la e aí está o prazer, e também porque quando castigada, terá o psicológico trabalhando, no sentido de: “Não queria estar aqui, mas fui obrigada a ficar de quatro e ainda estou sendo castigada”)

pet –Antes que pense em petplay, aviso que nada tem a ver. pet é a categoria de bottom, mais “inferior” por assim dizer. É um bottom exclusivo para 24/7, pois é um tipo de submissive que está disposto a abrir mão totalmente de sua personalidade baunilha. O desejo, é de viver como bottom em tempo integral, como o próprio nome diz, como um pet. Renunciam de sua vida baunilha, e mesmo de seus direitos perante ao dominante. Geralmente, não são masoquistas, porque aquele que tem desejo em ser um pet, sonha em ser tratado como um dono cuida de seu cão, cuidando, fazendo carinho, “brincando”, dando bronca quando faz algo errado, colocando de castigo etc. Repito, NADA tem a ver com dogplay, ponyplay ou qualquer tipo de petplay, é algo similar, é um bottom que anseia uma vida igual a de um pet, porém continuará sendo tratado como ser humano (ou quase).

bondagette (desculpem mas esqueci o termo no masculino e não acho de jeito algum) – São as “modelos” dos praticantes de bondage, ou seja, são um tipo de bottom que não procuram também a D/s mas sentem o prazer apenas em estar imobilizada, para muitas o prazer do contato sexual nem é necessário, o gosto está no sentir as cordas em seu corpo, tentar se mover ou se libertar e não conseguir, isso é seu prazer, D/s de nada adianta, não querem humilhação ou muito menos um Dono, mas apenas ficarem amarradas e se contorcendo por horas a fio. Como no Top, repito, não que uma bottom não possa gostar de bondage, pelo contrário tem umas que adoram, mas esse termo é utilizado para as “modelos” ou seja, isso que expliquei.

Nossa.... ainda bem que avisei que não seria breve.
Finalizando.

Masochist – São óbviamente, os masoquistas. E assim como a categoria dos Sádicos, é uma por si só e ao mesmo tempo subcategoria das outras, podendo uma submissive ser masochist ou não uma slave...... E lógicamente existem o apenas Masochist, que é a pessoa que sente prazer na dor e apenas nela. Também não busca D/s e em muitos casos odiaria passar por situações que uma submissive ou slave passa, mas odiaria de cortar o prazer mesmo.

Assim como Sadistic, este se subdivide em físico, psicológico e emocional.
Óbviamente, são como os Sadistic, porém do lado bottom, mas gostaria de ressaltar os lados psicológico e emocional novamente.


Psicológico - Assim como no caso do Sadistic, todo submissive ou slave, é automaticamente um masoquista psicológico, pois (mais uma vez), é impossível se submeter sem que o psicológico seja afetado, sem que a pessoa se sinta obrigada ou desejosa de se submeter.

Emocional – Antes que pergunte, já respondo, sim, existem pessoas que buscam isso, e o fazem sem sequer perceber, pessoas que desejam e querem ser torturadas emocionalmente, e repito, é um erro, uma falha e jamais vou aceitar esse tipo de Sadismo e masoquismo, pois muitos desavisados confundem com o psicológico, e se encontram outro desavisado acabam saindo de uma relação BDSM de forma depressiva e péssima, além de começarem a nutrir um sentimento de ódio e raiva por aquele que foi sádico com seu emocional.

Existem muitos mais termos e classificações de Top e bottom que essas, como:
Pony Trainer e ponygirl(boy) – que são os praticantes apenas dessa prática, assim como os Puppy Trainers e puppygirl(boy)

Temos os que gostam apenas de bondage (não tem muito consenso quanto ao termo Top, pois Bondager, oficialmente é uma palavra para descrever um servente), e a bondagette.

Temos Daddy e Mommy, assim como son e daughter, que são um tipo de Top e de bottom, que gostam de uma relação de dominação como de pais e filhos (parece meio doentio, mas calma, não é, e mesmo que fosse, o respeitar os fetiches alheios, é algo importante e que falta em nosso meio... excluindo os pedófilos, CLARO!). Enfim, o bottom, não quer transar com a mãe ou pai ou algo do tipo, apenas gosta do “ambiente caseiro”, de quando era criança que tinha sua vida, mas de certa forma era controlado pelos pais.

Holly Crap!!! Isso não pára mais....
Bom, como disse, entre Top e bottom, o que não faltam são subcategorias, e apesar de odiar rótulos, concordo que neste caso, seria muito bom e ajudaria muito, principalmente os iniciantes a se posicionarem e procurarem o que desejam: “Eu gosto disso, bom, qual o tipo de Top ou bottom que tem um perfil parecido com o meu?”

Espero que tenha sido de ajuda para alguns ou pelo menos que os tenha entretido um pouco. Como disse antes, é a forma que um grupo inglês vê o mundo parafílico e que eu gostei e adotei para mim como uma forma de me posicionar e tentar entender cada submissa por si. Principalmente, a minha gatinha ;).

E digo novamente, se não concorda, okay... fique a vontade para opinar ou fazer críticas CONSTRUTIVAS, mas respeite meu ponto de vista, assim como respeito o seu, dizendo que é minha forma de enxergar e não obrigo ou forço ninguém a aceitá-la.

Saudações a todos e beijos para a minha gatinha,

龍戦士

9 comentários:

SR. Kruel disse...

Nunca haverá consenso quanto a todas as denominações BDSM. Mas valeu o post ficou bem explicado.

Lord disse...

Saudações SM!

Os parâmetros do fetiche se alastram cada vez mais. Serve como pequeno manual de definições. Muito bom.

龍戦士 disse...

Pois é, meus caros.
Padronização, nunca haverá e até acho bom isso. O gostoso do BDSM é justamente poder ser tão adaptável.
Vejo que por aqui, as pessoas tentam dizer o que é o que com o intuito de exlusão apenas, se gosta disso é se não gosta não faz parte do "nosso mundo". Aqui, eu vejo uma forma de tentar agregar todas as opções possíveis e imagináveis dentro da lista de gostos "fora do comum".

Saudações,
龍戦士

{ÍsisdoEgito}JZ - Tua, somente tua disse...

kkkk...

Nossa, ja estava ficando com a vista cansada Senhor...mais consegui chegar até o final, rs

Bem, de acordo com suas definições, que são baseadas pelo que entendi com a nomenclatura usada pelos Ingleses, apenas confirmou as minhas necessidades, pois comecei como escrava, dogwomam, submissa, ponygirl, bondagette, e sempre ainda que eu diga que não, masoquista com pitadas grandes de sádismo, comigo e com o próximo (claro que não pode ser com o meu Dono, pois estaria morta....rs)

Enfim, sou ecletica como ELE mesmo diz. É feio? Estranho?Sei la, mais é bom demais poder variar, e ser feita de gato e rato, ser virada pelo avesso de todas as formas pelo Dono, que por sua vez, aprecia todas essas minhas facetas, e gosta de explora-las ao máximo, e tem o feito, seja fisicamente ou psicologicamente.

E assim vão-se 3 anos e meio de muita realizações e cumplicidade.

Cada um sabe a beleza de ser o que é......ou como se é desejado, rs

Beijos carinhosos,

龍戦士 disse...

Olá ísis,

Na realidade, não usei como base, essa é efetivamente a forma de classificar que o grupo que freqüêntei usava.
Sempre digo que a maravilha de nosso mundo está na maleabilidade das pessoas e práticas, da facilidade de adaptação e principalmente da diversificação. Coloquei as principais categorias, pois estas englobam todas as outras, já que uma submissa ou uma escrava poderá passar por qualquer prática fetichista ou BDSMer que o Dono queira (mantendo o SSC, óbvio). Mas tem aqueles que gostam apenas de uma prática específica e nada mais. E aí, o que são essas pessoas? Se pensarmos aqui no Brasil, em submissas, escravas e masoquistas apenas... pronto, já vem a exclusão, pois dita a regra que essa pessoa "não é do meio".

Isso que no final das contas, me incomoda e muito aqui no BDSM no Brasil, em grande maioria dos casos, não existe essa recepção como minha gatinha teve aqui no blog, muito não abrem os braços para cada novo praticante, apenas procuram classificá-lo logo para saber se "é do meio ou não" e ponto final.

Saudações a você e seu Dono,
龍戦士

{ÍsisdoEgito}JZ - Tua, somente tua disse...

No que depender de nós, sua gatinha ja esta dentro de nosso blog, e voces já estão sendo seguidos....

A propósito, se eu fosse ligar pra toda vez que sou taxada de algo, eu já estaria mumificada.....
Imagina que não acredito em submissa de alma, e já falei horrores sobre isso;
Já postamos sobre zoofilia, que meu Dono fez com que eu ficasse excitada e querendo experimentar. Pode sacar o que alguns pensaram de nós, melhor de mim, pois como uma mulher, nessa hora esquecem que sou submissa/escrava, rs, pode aceitar algo imundo desse tipo? Claro que justifiquei, nada de violência contra o animal qualquer que seja ele, no nosso caso, so nos interessa cão, é so ler meus posts muito bem explicados e com a cabneça aberta, afinal estar nesse meio exige isso; mas levei as taxações de alguns e algumas que se escondem e pede para alguem fazer no lugar delas. Olha, rs, fiquei cheia de rugas, oras....rsrs

Sejam bem vindos no Infinito Particular de JUN ZURIK e sua cadela ÍsisdoJUN.

Beijos respeitosos

龍戦士 disse...

Pois é, minha cara, preconceito dentro do BDSM é uma das coisas mais comuns, porém a uma das mais inaceitáveis do meu ponto vista.
Tenho um projeto de texto sobre o preconceito dentro do nosso meio, e talvez peça para minha gatinha postar. O dilema da escrava ou submissa é justamente esse, pois todo mundo entende que ela serve um Dono, porém na hora que tem que fazer algo que "nenhuma mulher de família" faria, aí todos caem em cima com críticas e preconceito. Esse é o meio que conheço a algum tempo, sempre foi e o que me desanima é que não vejo muita chance de mudar.

Saudações a você e ao Dono,
龍戦士

cadelinha romãntica disse...

Querida princess kitty estou aqui para retribuir sua amável visita ao meu blog e em chegando aqui me surpreendi com a qualidade visual,de textos ,de videos imagens enfim me encantei Parabens amiga Não se preocupe se ainda não descobriu o que vc possa ser Nós subs sentimos muito isso sabe?mas cada pessoa é uma pessoa uns adoram um chicote outras as velas e assim existe modos e maneiras de se viver o BDSM não que seja somente isso claro mas um pequeno exemplo Vc é linda amei as roupinhas(meu lado baunilhinha se encantou com os modelitos de cadela que vc apresenta)mas falando sério Parabens desejo que vc se ache realmente mas tenho certeza de que seu Mestre tem muito orgulho de vc Sucesso e felicidades Beijos com carinho da {analu}:

princess kitty disse...

Oi {analu}!

Muito feliz por você ter gostado do meu blog minha querida.
Eu cuido do meu cantinho com muito carinho e fico muito contente quando gostam dele como você.
Sim, estou me descobrindo e isso é delicioso sempre, pois cada descoberta é uma nova aventura.
Eu tbm adoro lingerie linda, tanto na vida baunilha, quanto na BDSM, essas roupinhas aqui, eu comprei todas para meu Mestre, comprei para usar com Ele, Ele gosta muito de lingeries delicadas.
Que bom que gostou dos modelos de gatinha para a cadelinha rsrs
Miaubeijos =^.^=

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...