Já fui muitas coisas. Já estive tantas outras. Já mudei de opinião e me reinventei diversas vezes. Já acertei, já errei, disse coisas em que não acredito mais e acredito em outras que antes não acreditava. Não me envergonho de quem eu fui, de quem eu sou e de quem eu serei. Rio de mim mesma, amadureço, vivo! Hoje sou apenas um bichinho de estimação curioso, ávido por novas brincadeiras e desafios. Um bichinho que gosta de brincar, ronronar, se esfregar, mas que também arranha um pouquinho às vezes. Um bichinho que não sabe se definir, mas que com toda a certeza ainda sabe SENTIR. E eu sinto que eu não posso mais viver sem o BDSM na minha vida. Eu preciso vivê-lo intensamente. Eu preciso me entregar a esse fetiche, esse desejo, essa loucura, como quer que chamem, mas eu preciso. O tempo passa, as coisas e pessoas mudam, mas uma coisa prevalece em mim: Essa vontade que me consome, esse desejo em ter meu corpo dominado, minha mente subjugada, meus desejos cedidos a outro. E eu prossigo, me perdendo em labirintos, abrindo e fechando portas, tentando encontrar uma saída que me leve de encontro aos meus desejos mais secretos.=^.^=

Escrito por princess kitty

O pesadelo da princesa



Ela era uma princesa. Vivia uma vida de princesa. Ao menos todos viam nela uma princesa. Sorria por fora. Era gentil. Meiga. Fazia tudo pelas pessoas que amava. Sempre ocupada. Sempre com uma palavra de apoio para quem a procurasse. Sempre disposta a ajudar. As vezes não conseguia. Pois mesmo sendo princesa, não era perfeita. Ficava muito frustrada quando isso acontecia. Mas sempre encontrava uma solução e voltava a sorrir e para a sua vidinha de princesa.

Mas a nossa princesa não era feliz. Ela aparentava ser feliz. Ela tentava ser feliz. Por vezes até conseguia uma espécie de alegriazinha por ver os outros felizes. Mas era muito pouco. Nossa princesa queria mais. Muito mais. Mas não havia ninguém em seu reino que pudesse dar o que a princesa queria. Nenhum princípe, nenhum cavaleiro, ninguém. O que a princesa queria realmente era ir embora desse seu reino perfeito. Deixar tudo para trás. E encontrar um ogro, ou um dragão. Alguém que a fizesse prisioneira. Podia ser um rei também ou um carrasco. Desde que fosse mau. E que sentisse desejo em maltratá-la. E que não a tratasse como princesa e sim como escrava.

 A princesa vivia sonhando com isso. E com o dia em que iria conseguir deixar de ser princesa e virar escrava. Ela planejava tudo passo a passo. E imaginava, desejava ardentemente pertencer ao seu algoz. Mas por mais que tentasse, a princesa não conseguia. Sempre acontecia algo que a impedia de sair do seu reino. Mas a princesa seguia sonhando, às vezes sonhava com um ogro, em outras com um grande dragão. Ou servindo a um rei cruel. Mas eram só sonhos, a princesa não conseguia sair do seu castelo. Então a princesa de tanto sonhar e não realizar, começou a definhar. Ela já não sorria mais como antes. Não conseguia mais disfarçar sua tristeza. Não se animava mais em ajudar seus súditos. Ainda continuava a fazer tudo pelos outros. Menos por si mesma. E a certeza de que seriam apenas sonhos começou a matá-la lentamente. Ela não tinha mais vontade de viver, de acordar. Só queria dormir, pois dormindo era transportada para junto do seu carrasco.

 Porém em uma noite foi diferente. A princesa dormiu e não sonhou. Ficou muito frustrada. Não conseguia mais sonhar. Seus sonhos, que eram a única coisa que a consolavam, sumiram. E com os sonhos sumiram também suas remotas esperanças de um dia se tornar real. A tristeza que agora consumia a princesa era imensa. Pois sabia que jamais deixaria de ser princesa.

Então um dia a princesa tomou uma decisão. Iria fugir, tentar encontrar seu algoz. Encontrar aquele que a escravizasse. E ela foi. Cheia de sonhos e esperanças. Deixou tudo para trás, só pensava no momento em que finalmente deixaria de ser princesa para se tornar escrava. E ela encontrou. Encontrou seu carrasco, seu rei, seu dragão, seu ogro. Na verdade ela o via quase como um Deus. Pois ele tinha o poder que ela desejava. O poder de lhe causar dor. O poder de dominar seus medos e frustrações. O poder de fazer com que ela fosse apenas ela mesma: Sua escrava. E assim foi feito. Durante algumas horas a princesa foi feita prisioneira, refém dos desejos alheios, submetendo-se a torturas. Ela não acreditava que estava vivendo aquilo que sempre sonhou, que era real. Ela não cabia em si de tanta felicidade. A princesa sabia que em breve iria retornar ao seu castelo, mas iria retornar sabendo que a uma ordem do seu carrasco, voltaria, pronta para atendê-lo, para se tornar novamente sua escrava. Mas algo aconteceu. Algo deu errado. Ela não ficou presa em seus grilhões. Ela não tinha a certeza que voltaria. E Ele simplesmente a libertou e a deixou ir...

A princesa foi embora. Se por um lado estava feliz, por outro estava triste. Sim, ela foi feita escrava, mas sentia um vazio muito grande dentro de si, como se tudo aquilo que ela sempre sonhou tivesse virado pó, tivesse se desvanecido como num sonho.

Naquela noite a princesa foi deitar muito triste, e começou a sonhar. No seu sonho ela encontrou suas fantasias, que agora não eram mais fantasias, eram realidade. Mas que realidade frágil era essa, que não se sustentava sozinha, que podia desmoronar a um simples toque... Então o pesadelo começou... Seus sonhos debochavam dela... lhe diziam que ela nunca deveria ter deixado de ser uma fantasia, pois foi criada para ser apenas isso, uma fantasia, um devaneio, como ela poderia querer ousar ser real? Ela era apenas uma princesa, não a desejavam como escrava. E a princesa sentiu medo, um medo diferente de todos os outros que ela já havia sentido antes. O medo de não viver aquilo nunca mais. O medo de voltar a ser apenas uma reles princesa. Ela não queria, não podia, não suportaria viver assim...mas ela não podia ser mais uma escrava, porque para se ser escrava é necessário que alguém a escravize...

E a princesa continua dormindo. Mas agora não tem mais sonhos pra sonhar. Quando tenta sonhar, seus sonhos logo se transformam em pesadelos. E ela dorme, esperando como uma princesa ser despertada, mas não por um príncipe, e sim por um ogro, um carrasco, um dragão, um rei...

 princess kitty

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...