Já fui muitas coisas. Já estive tantas outras. Já mudei de opinião e me reinventei diversas vezes. Já acertei, já errei, disse coisas em que não acredito mais e acredito em outras que antes não acreditava. Não me envergonho de quem eu fui, de quem eu sou e de quem eu serei. Rio de mim mesma, amadureço, vivo! Hoje sou apenas um bichinho de estimação curioso, ávido por novas brincadeiras e desafios. Um bichinho que gosta de brincar, ronronar, se esfregar, mas que também arranha um pouquinho às vezes. Um bichinho que não sabe se definir, mas que com toda a certeza ainda sabe SENTIR. E eu sinto que eu não posso mais viver sem o BDSM na minha vida. Eu preciso vivê-lo intensamente. Eu preciso me entregar a esse fetiche, esse desejo, essa loucura, como quer que chamem, mas eu preciso. O tempo passa, as coisas e pessoas mudam, mas uma coisa prevalece em mim: Essa vontade que me consome, esse desejo em ter meu corpo dominado, minha mente subjugada, meus desejos cedidos a outro. E eu prossigo, me perdendo em labirintos, abrindo e fechando portas, tentando encontrar uma saída que me leve de encontro aos meus desejos mais secretos.=^.^=

Escrito por princess kitty

Relatos de uma auto-spanking 2

Auto spanking BDSM

Ah, mais uma vez sucumbi a esse suplício de bater em mim mesma... Estava aqui, navegando na net tranquilamente, lendo e vendo imagens sobre BDSM, quando aconteceu novamente...

Uma agonia me invadiu, senti meu corpo todo começar a se contrair, fui me sentindo incomodada, precisei levantar da cadeira, comecei a me sentir mal, precisava da dor, sentia um incômodo físico muito grande, subi as escadas correndo, fui ao banheiro, lavei o rosto, água gelada, não adiantou, corri para o quarto e dessa vez peguei uma escova de cabelo grande de madeira, desci as escadas novamente com a escova na mão, mais uma espiada no not, mas não consegui me controlar, me deitei no sofá, dobrei as pernas junto ao meu peito e comecei... estou de camisolinha então fiquei com o bumbum exposto... comecei a bater primeiro devagar, depois cada vez mais forte, me sentia arder, delirar, batia, esfregava a parte de madeira e o cabo da escova por entre as minhas coxas, no meu bumbum, bati um pouco mais nessa posição, mas não foi suficiente... precisava de mais, então me virei e fiquei de quatro no sofá, apoiei minha cabeça nos ombros e com a mão livre comecei a desferir os golpes, um, dois, três, quatro, cinco, seis... parei de contar... mas continuei a me bater um pouco mais, me sinto um pouco aliviada, mas a sensação de agonia não passa, estou incompleta, vazia, só isso não me satisfaz...

Digitando com o bumbum ardido, mas ainda sentindo essa vontade que não passa, essa vontade de ter o que nunca tive, essa vontade de sentir dor desesperadamente. Algo me falta. Não é só a dor que desejo. Quero ser submetida, me sentir obrigada, impotente diante da força e dominação de alguém, e não apenas fisicamente. Esse desejo de ter um Dono que me segure para que eu não precise mais me segurar. Que saiba quando e como me torturar para que eu não precise mais me machucar. Que saiba me dominar. E que saiba a hora de me fazer parar.

princess kitty

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...